5 Anos de luta: Live reforça manifestações dos atingidos e atingidas do Alto do Rio Doce

Publicado em: 06/11/2020

Ao completar 5 anos do rompimento da barragem de Fundão em Mariana, da mineradora Samarco (VALE/BHP Billiton), os atingidos e atingidas do Alto Rio Doce ainda enfrentam uma série de desafios à reparação integral dos danos. Os atingidos denunciam a continuidade da violação dos seus direitos e a dificuldade de obrigar a Fundação Renova, entidade responsável pela execução das ações de reparação, em cumprir os acordos realizados em prol da reparação integral. A lentidão na reparação é reforçada por um processo cada vez mais judicializado e distante, que dificulta o andamento das ações e a participação  efetiva dos atingidos no processo.

Em todo o território atingido do Alto Rio Doce, são comuns situações de adoecimento, de variadas ordens, seja pelo contato com a lama, com a poeira e a possível contaminação ambiental e a ausência de serviços de saúde adequados ao atendimento das populações. A dificuldade de acessar uma indenização justa fez com que os atingidos do Alto Rio Doce, juntamente com suas assessorias técnicas, elaborassem uma Matriz de Danos, instrumento para auxiliar no processo de reparação, em especial das indenizações e medidas compensatórias.

No próximo dia 12 de novembro, às 18h, atingidos do Alto Rio Doce, com apoio de suas assessorias técnicas (Cáritas, AEDAS e Centro Rosa Fortini), realizarão a Live “5 Anos de luta: sem reparação integral, o crime se renova”, que além de tratar da triste lembrança do dia 05 de novembro de 2015 - que jamais deve ser esquecida, debaterá o fortalecimento de uma Matriz de Danos e o processo de indenização. Os temas serão abordados por representantes dos atingidos de Barra Longa (Hermínio Amaro do Nascimento); de Mariana (Luzia Queiroz); de Santa Cruz do Escalvado (Antônio Carlos da Silva) e de Rio Doce (José Maurício Pereira) e será mediado pela advogada e assessora técnica Verônica Viana (AEDAS).

A transmissão ao vivo ocorrerá pelo Youtube da Cáritas Minas Gerais.



Compartilhe: