CIF aprova construção de Parque Urbano para Rio Doce

Publicado em: 30/08/2019

O Comitê Interfederativo (CIF) aprovou o anteprojeto conceitual para a construção do Parque Urbano de Rio Doce, através da Deliberação Nº 321, durante a 40ª Reunião Ordinária realizada em Belo Horizonte, nos dias 26 e 27 de agosto. O Parque será construído como medida reparatória pela perda do Lago da UHE Risoleta Neves (Candonga), localizado entre os municípios de Rio Doce e Santa Cruz do Escalvado.
 
A Deliberação determina que a Fundação Renova apresente em 90 dias o cronograma de execução do projeto que será um equipamento de cultura,  lazer, esporte e turismo no Município, incluindo os custos necessários para a elaboração do projeto executivo, bem como a aquisição dos imóveis.
 
 
A apresentação do anteprojeto do Parque Urbano de Rio Doce estava prevista na pauta da reunião do CIF e ficou sob a responsabilidade de Airton Mol Almeida, membro da Comissão de Atingidos de Rio Doce, e Adair Liberato, secretária municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo de Rio Doce.
 
“Sem o lago de Candonga, temos a sensação de restrição de um espaço que era de nosso uso desde a infância. Meu filho de 14 anos sempre utilizou o espaço, acampando com familiares. No entanto, há quatro anos este lazer foi interrompido. Outras pessoas idosas, que sempre frequentaram o lago não poderão mais desfrutar dele, pois se algum dia ele for recuperado, vai demorar muitos anos. Com o trânsito de caminhões ao entorno, não podemos nem mesmo fazer uma caminhada.”, disse Airton.
 
Adair Liberato também falou sobre a importância do Lago da UHE Risoleta Neves (Cangonga) para os moradores do entorno. Ela contou que, logo após a construção da hidrelétrica, havia uma grande resistência por parte da população em utilizar o espaço para lazer. Segundo ela, os atingidos custaram a ter relação com o Lago, pois queriam mesmo era o rio Doce em sua forma original. Com o passar do tempo, as comunidades passaram a ter afetividade com o Lago e ele se tornou área de lazer, esporte e atrativo turístico para moradores e visitantes. “O Parque Urbano vem contemplar parte do foi perdido, foi uma proposta construída junto com a população atingida”, explicou.
 
O único ponto questionado pelo CIF foi a preocupação com a manutenção do Parque. O prefeito e membro do CIF, Silvério da Luz, então ressaltou que “a Cidade tem um histórico de muito cuidado, pois todos os moradores colaboram e preocupam-se com o seu futuro. Até mesmo os visitantes tem esta consciência”. Ele também informou que apesar da relevância do Parque para o Município, os espaços são simples e de fácil manutenção, com muita área verde e ao lado do Complexo Esportivo, local que já recebe manutenção.
 
O Parque Urbano de Rio Doce oferecerá atividades de lazer para todas as faixas etárias. Com foco na preservação do Meio Ambiente e dos bens naturais, o espaço disponibilizará trilhas, ponte de madeira, pista de corrida, lago e cachoeira artificial, quiosques, pista de skate, parque infantil, pergolado, concha acústica, banheiros, corredor ecológico, galpão de estudos e pesquisas, além de estacionamento. 
 
A construção do anteprojeto conceitual pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo de Rio Doce, contou com o apoio da Comissão de Atingidos de Rio Doce e do Centro Alternativo de Formação Popular Rosa Fortini na elaboração de Nota Técnica e orientações.
 
Também estavam presentes à reunião do CIF, Ronaldo Adriano (Roni), membro da Comissão de Atingidos de Rio Doce, a coordenadora socioambiental do Centro Rosa Fortini, Juliana Veloso, e a assessora técnica Carola Lopes Moreira.
 
 



Compartilhe: