Representantes dos atingidos acompanham marcação de pontos para coleta de rejeito

Publicado em: 09/08/2019

Equipe percorre os principais pontos de acúmulo de rejeito à montante da UHE Risoleta Neves

Equipe do Programa de Manejo de Rejeito- PG 23, da Fundação Renova, esteve no Território, no dia 05 de agosto, com o objetivo de percorrer áreas próximas ao lago da UHE Risoleta Neves (Candonga) para levantamento do número de pontos e profundidade de coleta do rejeito. Serão recolhidas 54 amostras em profundidades variadas, podendo chegar até a 32 metros. O objetivo será a caracterização físico-química do material.
 
Esta demanda surgiu após reunião no Território, dia 16 de junho, com representantes da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMAD), Ramboll, Câmara Técnica de Gestão de Rejeitos e Segurança Ambiental (CT GRSA), Fundação Renova, Comissões de Atingidos, Centro Alternativo de Formação Popular Rosa Fortini e Prefeitura Municipal de Rio Doce. A intenção da Fundação Renova era coletar apenas quatro amostras de rejeito a um metro de profundidade. No entanto, os atingidos entenderam que a análise deste material seria insignificante.
 
O trabalho da Fundação Renova contou com a presença de representantes das Comissões de Atingidos de Santa Cruz do Escalvado/Chopotó (Antônio Carlos da Silva) e de Rio Doce (José Maurício Pereira), da engenheira ambiental do Centro Rosa Fortini, Marina Lima, do engenheiro agrônomo e consultor técnico do Centro Rosa Fortini, Professor Luiz Fontes, e de representantes da empresa Potamos Engenharia e Hidrologia (empresa responsável pelos estudos das análises de caracterização do rejeito).
 
Membros da Comissões de Atingidos e técnicos do Centro Rosa Fortini participam de reunião
na sede da Fazenda Floresta antes de irem à campo
 
Foto georeferenciada auxilia no planejamento do trabalho
 



Compartilhe: