Equipe de apoio ao Mapeamento de Povos Tradicionais entra em campo

Publicado em: 31/07/2019

Equipe de pesquisadores reforçam mapeamento de povos e comunidades tradicionais

Uma nova equipe de apoio ao trabalho de Mapeamento dos Povos e Comunidades Tradicionais (Professor Aderval da Costa Filho), composta por 19 pesquisadores, iniciou a aplicação dos questionários no dia 24 de julho. Antes dos trabalhos de campo, eles participaram de uma reunião com o coordenador jurídico do Centro Alternativo de Formação Popular Rosa Fortini, Domingos de Araújo Lima Neto.
 
Domingos abordou o histórico dos acordos jurídicos firmados para reparação integral dos danos causados pelo rompimento da barragem da Samarco, como o Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) e o TAC Governança. Os pesquisadores também ficaram a par das lacunas deixadas nos cadastros dos atingidos realizados pela empresa Synergia (contratada da Fundação Renova).
 
O cadastro realizado pela Synergia desconsiderou atividades autônomas desempenhadas por membros nos grupos familiares, como o trabalho independente da mulher, privilegiando a figura masculina como chefe do Núcleo Familiar. 
 
Outra irregularidade abordada por Domingos foi a invisibilidade no cadastro da Synergia de diversas categorias de atingidos que tiveram perdas de emprego e renda, como exemplo, os trabalhadores informais dos portos de areia e os comerciantes considerados impactados indiretos pela Fundação Renova. 
 
“Este questionário tem grande importância. Ele refletirá as perdas individuais, coletivas e familiares, questões ligadas à Saúde, à perda de espaços de uso dos bens e equipamentos públicos, dentre outras. Após a aplicação dos questionários, teremos uma matriz de atingidos e de danos, e assim passaremos por um processo de negociação, junto ao Ministério Público e Fundação Renova, para validação de valores dos danos, de acordo com a realidade do Território”, explicou Domingos.
 
O conteúdo dos questionários aplicados pela equipe de pesquisadores contratada pelo Centro Rosa Fortini e os bancos de dados são os mesmos utilizados pela equipe do Professor Aderval da Costa Filho. Estes trabalhos devem ser finalizados ainda em agosto.
 
No município de Rio Doce, as primeiras famílias a responderem os questionários foram da comunidade do Jorge. Em Santa Cruz do Escalvado, a aplicação dos questionários iniciou pela comunidade do Novo Soberbo. Os pesquisadores irão aplicar os questionários em 16 comunidades de Santa Cruz do Escalvado, 14 em Rio Doce e 2 em Ponte Nova.



Compartilhe: