Comissão de Rio Doce esclarece dúvidas sobre mapeamento de povos tradicionais no município

Publicado em: 04/07/2019

No dia 27 de junho, houve reunião entre a Comissão de Atingidos de Rio Doce, Assessoria Técnica do Centro Alternativo de Formação Popular Rosa Fortini e equipe do Professor Aderval Costa Filho, responsável pelos estudos de Mapeamento dos Povos e Comunidades Tradicionais no Território. A reunião teve como objetivo alinhar o processo de aplicação dos questionários nas comunidades de Rio Doce. 
 
Grasiele Costa Santos Fortini, coordenadora social do Centro Rosa Fortini, informou que uma equipe está sendo contratada para aplicar parte dos questionários, em apoio à equipe do Professor. O conteúdo dos questionários e os bancos de dados serão os mesmos. Esta equipe contratada estará em campo até a segunda quinzena de julho.
 
A equipe do Professor Aderval aplicará questionários nas comunidades Fazendinha, Matadouro/Quilombo e Marimbondo. A segunda equipe ficará responsável pelas comunidades do Jorge, Tapera, Fundão, Jaracatiá, Perobas, Funil, Limoeiro, Beira Rio e Rio Doce (sede). Em Santana do Deserto, o serviço de campo foi finalizado.
 
César Augusto Fernandes Silva, coordenador de campo e um dos pesquisadores da equipe do Professor Aderval, falou sobre as definições conceituais do mapeamento, núcleo familiar e famílias extensas/ampliadas, bem como os critérios de aplicação dos questionários para as pessoas que já moravam na comunidade em 2015 e para as que não moravam neste ano. Ao final, César ainda explicou que os critérios de validação dos questionários serão propostos, analisados e aprovados em reunião conjunta entre Comissões de Atingidos de Rio Doce, Santa Cruz do Escalvado/Chopotó, Assessoria Técnica e o professor Aderval. 



Compartilhe: