Projetos de compensação pelo uso do lago da UHE Risoleta Neves passam por avaliações

Publicado em: 16/08/2019

Momento da reunião da CT ECLET em Belo Horizonte

A avaliação do projeto de construção do Parque Urbano de Rio Doce,  alternativa ao uso do lago da UHE Risoleta Neves (Candonga) para práticas de lazer, entrará na pauta da próxima reunião ordinária do Comitê Interfederativo (CIF). O Município encaminhou o projeto, com apoio da Comissão de Atingidos e do Centro Alternativo de Formação Popular Rosa Fortini, para a Câmara Técnica Educação, Cultura, Esporte, Lazer e Turismo (CT ECLET), através de Nota Técnica conjunta. Felipe Michael Braga, coordenador da CT ECLET parabenizou a todos os envolvidos pela união em prol do processo.
 
Durante reunião da CT ECLET, dias 6 e 7 de agosto, em Belo Horizonte, o Secretário Municipal de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo de Santa Cruz do Escalvado, Maurino Miranda, apresentou esboço do projeto municipal, também como alternativa ao uso do lago da UHE Risoleta Neves (Candonga) para práticas de lazer. Trata-se de um complexo esportivo com quadra de futebol de areia, peteca, pista de skate, campo de futebol, espaço para modalidades de atletismo, contendo um espaço para atividades de jogos de mesa e artes marciais e socialização da comunidade. Maurino disse que o Município ainda discutirá o projeto com as comunidades e que o mesmo poderá sofrer modificações após avaliação coletiva.
 
Foi concluído, pela Fundação Renova, o diagnóstico dos impactos causados no Turismo, Cultura, Esporte e Lazer do município de Ponte Nova. No entanto, seu status foi definido como pouco significativo.
 
De acordo com Adair Liberato, secretária municipal de Cultura de Rio Doce e membro da CT ECLET, o diagnóstico de Ponte Nova contém alguns pontos que precisam ser verificados. Camila Oliveira, também membro da CT ECLET e integrante da Secretaria Estadual de Cultura e Turismo disse que o diagnóstico de Ponte Nova precisa ser validado com o poder público e comunidade atingida.
 
Assessores Técnicos do Centro Rosa Fortini poderão reunir o Núcleo de Base de Chopotó/ Ponte Nova para explicar o conteúdo do diagnóstico à comunidade. Assim, os atingidos estarão preparados para propor modificações do documento, caso necessário, durante a reunião de validação com a Fundação Renova. 
 
Ainda durante a reunião, representante da Fundação Renova informou que está em andamento o Projeto de Incentivo à Leitura (PG 13- Turismo, cultura, esporte e lazer). Serão contempladas as bibliotecas municipais que estiverem cadastradas no sistema estadual. Os prédios pertencentes às prefeituras passarão por manutenção e os gestores por capacitação. O orçamento estimado é de 14,5 milhões de reais para toda a Bacia.  
 
Adair Liberato perguntou sobre a construção de Centros de Memória no Território, citando como uma das demandas o Congado de Santana do Deserto. Maria Cristina, da Fundação Renova, explicou que o Território poderá pleitear Centros de Memória caso o Diagnóstico de Referências Culturais e Plano de Salvaguarda aponte esta necessidade. A manutenção dos equipamentos ficaria sob a responsabilidade dos municípios. Já Airton Mol Almeida, representante da Comissão de Atingidos de Rio Doce, reforçou a importância da construção de um Centro de Memória para os faiscadores, já que os mesmos perderam o ofício.
 
Outro ponto abordado na CT ECLET, com discordância de boa parte de seus membros, foi a solicitação pelos governadores de Minas Gerais e Espírito Santo, de que algumas CTs tenham coordenação do ES e não mais de MG. Como encaminhamento, a CT solicitará justificativa à recusa do Governo de Minas em indicar a coordenação.
 
Aline de Oliveira, secretária de Educação de Mariana, disse que não concorda com a mudança, pois os programas 11(Recuperação das Escolas e Reintegração da Comunidade Escolar) e 12 (Memória Histórica, Cultural e Artística) abrangem especialmente Minas Gerais. Os demais membros da CT ECLET também se posicionaram contrários. Airton Mol solicitou o registro dos nomes dos atingidos presentes no ofício que será encaminhado ao Governador.
 
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (CBH DOCE) encaminhou ofício dispensando vaga como membro na CT ECLET e solicitando participação nos GTs de Educação para Revitalização da Bacia do Rio Doce (PG 33). Também participou desta reunião, Carola Lopes, assessora técnica do Centro Rosa Fortini.
 
 
Maurino apresenta projeto como alternativa ao uso do lago da UHE Risoleta Neves à CT ECLET
 
Airton, representante da Comissão de Atingidos de Rio Doce, assina Nota Técnica conjunta
 
 
 
 



Compartilhe: