Servidores da Semad visitam obras de manejo de rejeito com atingidos

Publicado em: 22/07/2019

Representantes da Comissão de Atingidos de Santa Cruz do Escalvado/Chopotó demonstram aos servidores da Semad- através de desenho- quais as áreas atingidas pelo rejeito no município.

No dia 17 de julho, representantes da Comissão de Atingidos de Santa Cruz do Escalvado/Chopotó percorreram várias localidades do Território impactadas pelo rejeito. Eles estavam acompanhados de assessores técnicos do Centro Alternativo de Formação Popular Rosa Fortini e de servidores da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semad). O objetivo da Comissão foi mostrar aos profissionais da área ambiental alguns trechos de obras da Fundação Renova, utilizados para manejo do rejeito. 
 
O primeiro local visitado foi à comunidade rural do Jerônimo, onde a Samarco Mineração S.A. depositou grande quantidade de rejeito em 2016, soterrando inclusive uma de suas nascentes. Em seguida, a equipe deslocou-se para alguns setores de deposição de rejeito à beira do lago da UHE Risoleta Neves (Candonga). E para encerrar os trabalhos do dia, a equipe pode constatar desmoronamentos nas margens do rio Doce, próximas ao barramento C. 
 
Antônio Carlos da Silva, membro da Comissão de Atingidos de Santa Cruz do Escalvado/Chopotó, também demonstrou in loco uma segunda alternativa para a retirada do rejeito pela Fundação Renova. “Há três anos e nove meses do desastre socioambiental, a Fundação Renova ainda não apresentou um projeto que nos dê segurança e que realmente demonstre efetividade. Uma quantia bilionária foi gasta aqui no Território com estas obras, mas o que vemos no dia a dia são mais danos ambientais. Não queremos o rejeito no lago da UHE Candonga, por isto estamos sugerindo outra alternativa para retirada do rejeito, ao meu ver, mais eficiente”, disse.
 
Também integraram à equipe da visita, Geraldo Felipe dos Santos, membro da Comissão de Atingidos de Santa Cruz do Escalvado/Chopotó; Davi Soares, engenheiro agrônomo do Centro Rosa Fortini; o gestor ambiental Antônio Guilherme Rodrigues Pereira e o analista ambiental Rodolfo Fernandes, da Superintendência de Projetos Prioritários (Suppri/ Semad); Gilberto Fialho Moreira, da Diretoria de Gestão da Bacia do Rio Doce (Superintendência de Gestão Ambiental - Suga/Semad) e coordenador da Câmara Técnica de Gestão de Rejeitos e Segurança Ambiental (CT GRSA); e Thayná Guimarães Silva, estagiária da Semad.
 
Visita ao local que foi utilizado como depósito de rejeitos na comunidade do Jerônimo
 
Coordenador da Câmara Técnica de Gestão de Rejeitos e Segurança Ambiental, Gilberto Fialho Moreira, e a estagiária da Semad, Thayná Guimarães Silva, conhecem o setor 8, onde foi empilhado parte do rejeito- município de Santa Cruz do Escalvado.
 
 
Equipe também foi até o setor 4. O local será descomissionado, mas a obra para retirada de 340 mil m³ de rejeito está em fase de projeto.
 
Equipe próxima ao lago da UHE Risoleta Neves, onde representantes da Comissão de Atingidos de Santa Cruz do Escalvado/Chopotó explicam aos servidores outras alternativas para retirada do rejeito.
 
Comissão também mostrou in loco problemas nas margens ao lado do município de Santa Cruz do Escalvado, após construção do barramento C.
 
 
 



Compartilhe: